quinta-feira, 1 de abril de 2010

Colecções

Colecciono desilusões
Como se fossem cartas do passado.
Guardo-as com cuidado.
Folheio-as lenta e atentamente.
Para aprender.
Para não mais falhar.

Mas a inocência de um olhar
e a leveza das palavras
toldam-me uma e outra vez.
E falho.
E não aprendo.
E amarroto as cartas e desdigo o passado.
Colecciono desilusões.
Uma e outra vez.
Para não esquecer.

3 comentários:

  1. "(,,,)Tem os pés delicados, nunca os pousa na terra, caminha por sobre a cabeça dos homens(...)"
    No pomar colheu a mais bela das ilusões
    insensato,ao entardecer.

    Não lhe deixara cartas que ler,
    apenas o seu retrato

    Coleccionava retratos
    Não queria esquecer

    ResponderEliminar
  2. Apenas quem amamos tem o poder de nos desiludir,mas os bons momentos persistem para fazer sorrir

    ResponderEliminar
  3. muito bom.
    acho que todos nós, alguma hora, colecionamos ilusões.

    até.

    bjo, bjo, bjo...

    ResponderEliminar